Destinos distintos convergem no encontro de todas as decisões

Final Masculina

Os caminhos que Fontão e Paço Lima percorreram até à grande final da Taça AFVC foram distintos. Os limianos jogaram sempre na condição de visitados, averbando três triunfos em igual número de partidas. A estrada que o Lavradas teve de trilhar rumo à discussão do título foi bem distinta, com alguns sustos e percalços que os pupilos de Dionísio Abreu souberam contornar. O DEV apresenta-lhe um curto filme da presente edição da Taça que no Sábado, em Caminha, terá novo vencedor.

Os oitavos de final da competição apadrinharam a estreia oficial de todas as formações na corrente temporada. Em Fontão, a equipa de José Luís não sentiu qualquer dificuldade para eliminar o Alvarães de forma expressiva (8-1). O conjunto de Ponte de Lima encantou com a sua perfeita gestão da posse de bola, ainda em finais de Setembro. Adiado para o feriado comemorativo da implantação da república, o encontro entre Paço Lima e Cerveira decidiu-se no pormenor, com a vitória (6-4) a ficar no bolso da equipa do Municipal da Barca.

Para o derradeiro domingo de 2009 ficaram reservadas as partidas relativas aos quartos de final. Uma vez mais a jogar em casa, o Fontão não tremeu diante do Ponte da Barca, vencendo (7-3) de forma clara. Ao intervalo, os limianos tinham dois golos de vantagem, dobrando a diferença no marcador nos primeiros minutos da etapa complementar. Daí até final, o Fontão limitou-se a gerir o resultado. A missão do Paço Lima foi bem mais complicada, tendo de suar para derrotar (4-2) o Cidadelhe, num derby de Ponte da Barca bastante disputado.

A quadra natalícia acolheu ainda as partidas referentes às meias-finais. Devido às más condições do piso do seu pavilhão, o Fontão foi forçado a receber o Anha em Lanheses. Os canarinhos saíram na frente, contudo logo os limianos alteraram a estrutura do texto, construindo um resultado que ao intervalo se cifrava em 4-1. Pensava-se que a eliminatória estaria resolvida, quando os canários encostaram o seu adversário às cordas, com dois golos marcados. Bem mais dramático foi o apuramento do Paço Lima que só se desenvencilhou do Neiva após a marcação de grandes penalidades.

A formação de José Luís passeou a sua classe nas duas eliminatórias inaugurais, sentindo embaraço para segurar a revolta amarela nas meias-finais. Um jogo fantástico apenas ensombrado por pequenos hipotéticos casos de arbitragem. Por outro lado, o Lavradas defendeu com sucesso a sua presença nas meias-finais da edição do ano passado. Sem o brilho da campanha dos seus parceiros da final, certo é que os jogadores de Dionísio Abreu justificaram, igualmente, o seu apuramento para a partida de Sábado.

Final Feminina

O Castanheira tem dominado o panorama feminino do futsal da AFVC. Contudo, na Taça AFVC, a formação de Paredes de Coura teve um rival à altura: o Soutelense. O trajecto até à final de Sábado de Castanheira e Soutelense é em tudo semelhante, tendo apenas uma grande diferença. Recorde-se que na primeira fase todas as equipas jogaram entre si, a uma só volta, com as quatro primeiras a apurarem-se para as meias-finais.

A defesa do troféu começou com um empate (1-1) perante o grande rival Soutelense, após uma folga na ronda inaugural. Seguiram-se três goleadas a Lanheses, ARCAS e Zona Fut e dois triunfos garantidos apenas pela margem mínima perante ARA e Santa Luzia. O emblema de Paredes de Coura fechou esta fase de grupos no primeiro lugar, com o melhor ataque da prova, com 41 golos marcados.

Por seu lado, a turma de Freixieiro de Soutelo teve uma entrada tímida na prova, alcançando dois empates com Santa Luzia e Castanheira, nas duas primeiras jornadas. A folga à terceira ronda empurrou a equipa para quatro vitórias consecutivas diante de Lanheses, ARCAS, ARA e Zona Fut. O segundo lugar estava garantido, com o bónus de possuir a melhor defesa, com apenas cinco golos sofridos.

No encontro em que se discutiu o acesso à grande final, os candidatos puxaram dos seus galões, vencendo de forma convivente. No seu reduto, o Castanheira não se empertigou, triunfando (4-0) sobre da ARCAS que tinham dado boa conta de si durante a fase inicial. Num duelo que se antevia bem mais equilibrado, o Soutelense afastou o Santa Luzia ao vencer (5-1), numa eliminatória disputada recentemente uma vez que o jogo foi adiado uma vez devido às más condições do piso.

Com maior ou menor dificuldade, em Caminha marcarão presença as duas formações mais fortes da competição. Ambas as equipas realizaram, até ao momento, sete encontros a contar para esta competição sendo que as jogadoras de Luís Nogueira somam seis triunfos e um empate, enquanto o conjunto de Freixieiro de Soutelo contabiliza duas igualdades e cinco vitórias.

JS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s