Opinião: A motivação

No site do Centro de Atletismo de Mazarefes existe um inquérito que pergunta qual a componente mais importante na formação dos jovens, e sabem qual é a resposta da esmagadora maioria? A motivação.

Temos portanto, uma primeira conclusão. Os jovens atletas precisam de motivação, os jovens e todos os outros. Todos nós.

Mas isso não é segredo nenhum. No desporto, um atleta desmotivado é um atleta derrotado.

Podemos ir buscar motivação a muitos lados e muitas coisas. Podemos também motivar recorrendo a vários métodos, mas como saber qual a melhor forma de abordar um atleta, como lidar com ele ou como notar alguma fragilidade?

Na minha opinião, a base da motivação é o “objectivo”. Cada um de nós, treinadores, dirigentes e atletas temos de começar cada época com um objectivo. Não podemos escolher nada utópico ou extremamente difícil de alcançar mas, metas como “melhorar a marca” também não deverão ser levadas em conta, e porquê? Nenhum atleta normal anda cá para piorar a marca, certo?

No início de cada temporada o treinador deve reunir com os seus atletas e definir objectivos a curto e longo prazo. O atleta deve ter os seus objectivos pessoais e partilhar com o seu treinador, este deverá analisá-los e cruzar essa informação com os objectivos que também traçou. Poderão modificá-los se necessário mas, aqui deveremos ter o primeiro cuidado, se o objectivo do atleta for demasiado elevado e o treinador “pedir” menos poderemos estar a provocar a primeira desmotivação da época, por vezes, compensa também (mais nas provas individuais) não partilhar os nossos objectivos para os atletas para, em caso de falha, ele não ficar a sentir que não esteve à altura.

Quando alguém bate o seu objectivo, esse deverá ser o primeiro dia em que não o conseguiu. Sim, é verdade. Mal cumprimos o nosso objectivo terá de surgir automaticamente outro.

Um atleta com um objectivo próximo está mais motivado que um outro cuja meta se encontra ainda longe, neste caso deverão ser realizadas “metas-volantes” para manter a chama acesa.

Podemos escrever vários livros com motivos de desmotivação e técnicas de motivação pelo que não posso aprofundar demasiado este assunto. Mas o mais importante passa por estas palavras:

Confiança: elos de ligação forte atleta-atleta, atleta-treinador e treinador-atleta são a base de toda esta máquina, cujas peças tem de estar em plena sintonia. A confiança deverá ser tal que não poderá haver qualquer hesitação na execução de uma ordem/sugestão. Confiança de que quem partilha connosco algo está a ser verdadeiro e a querer apenas o nosso bem. Confiança de que alguém vai cumprir aquilo que estipulamos pois acredita em nós.

Respeito: terá de ser mútuo, um treinador não pode levantar a voz ao atleta para que este obedeça, não pode também ter de repetir constantemente uma “ordem” para ser cumprida. Tem de respeitar as limitações de cada um e as razões que os levam a tomar certas e determinadas medidas. Mas isto não costuma acontecer no treino… e tem de mudar.

Não há confiança sem respeito e vice-versa. São a base da capacidade que o treinador terá para motivar o seu atleta.

Verdade vs Mentira: A verdade deverá ser primordial e o uso da mentira terá de ser usado em último caso e em momentos chave. Nunca mentir não é solução mas se fizermos prevalecer a verdade, quando dissermos: “És capaz” ele será mesmo capaz e se um dia, em desespero, ele não for capaz e nós dissermos “És capaz”, ele vai ser mesmo capaz. Mas repito, a mentira deverá estar numa caixa de vidro onde diz “quebrar em caso de emergência” pois eles confiam em nós e podem deixar de fazê-lo e logo de seguida o respeito cai também.

Uma derrota, uma lesão ou a falha de um recorde poderão gerar desmotivação. Temos que treinar também os nossos atletas a usarem esses contratempos como factores extras de força para que numa próxima oportunidade sejam transformados em sucesso. Um atleta inconformado com a derrota é certamente um futuro campeão. Preocupem-se com quem aceita que é pior que os outros ou que tem muito azar, são os desmotivados.

Existem técnicas de motivação que dão imenso resultado, o autor Augusto Cury é o meu preferido se bem que, como todos os outros, tem as suas passagens utópicas que terão de ser adaptadas à nossa realidade. Existem meios, técnicas e formas de motivação e os treinadores deverão usá-las para terem sucesso desportivo.

Um atleta motivado é um provável campeão.

Joel Maltez

– treinador de atletismo –

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s